Artesanato alagoano bate recorde de vendas durante feira em São Paulo

A participação de artesãos de Alagoas no 11º Salão do Artesanato, na Expor Center Norte, em São Paulo, bateu recorde de vendas. Com 4.464 peças comercializadas, o espaço, organizado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), em parceria com o Sebrae Alagoas e o Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), arrecadou um total de R$ 205.350,97.

Com 17 entidades e grupos de artesãos que representam dez municípios alagoanos, o Estado apresentou, durante os cinco dias de evento, toda a beleza e riqueza do artesanato de Alagoas para um público bastante diversificado.

“Essa foi mais uma excelente oportunidade de vendas e negócios para os artesãos de Alagoas, gerando mais visibilidade no mercado nacional para os artistas locais. Saímos daqui bastante satisfeitos com o resultado alcançado em cinco dias de feira”, disse a gerente de Design e Artesanato da Sedetur, Daniela Vasconcelos.

O 11º Salão do Artesanato contou com o apoio do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) e reuniu mais de mil artesões de diversos estados, além de uma imensa variedade de tipologias. Além do estande do Governo do Estado, a Federação Alagoana dos Artesãos (Falarte) participou da feira com um estande próprio e um espaço comprado pelo proprietário da loja paulista Projeto Terra, Ricardo Pedrosa, comercializou o artesanato produzido na Ilha do Ferro, em Pão de Açúcar.

“Bonito, único, extraordinário, fora do comum. É isso que nós, do Projeto Terra, buscamos quando percorremos o país em busca de produtos para atender nossos clientes. E Alagoas é um destino único para atender esse perfil de produto, pela variedade de tipologias, originalidade, qualidade do trabalho artesanal e pela criatividade dessa gente, que vê na natureza a inspiração e no fazer artesanal a certeza de um futuro melhor”, afirmou Ricardo Pedrosa.

Participaram do 11º Salão do Artesanato os artistas e grupos Luar’t (Marechal Deodoro), Inbordal (Marechal Deodoro), Associação das Artesãs de Feliz Deserto, Associação das Artesãs do Pontal do Coruripe, Mari Assis (Maceió), Associação Mulheres de Fibra (Maragogi), Lucas Yguaratã (Palmeira dos Índios), Amor Caseado (Boca da Mata), Nena (Capela), Fulô.A (Penedo), Fabrica da Esperança (Maceió), Tati Barros (Maceió) e Coité Iluminado (Maceió), além dos mestres artesãos Vânia Oliveira (Maceió), Arlindo Monteiro (Maceió), André da Marinheira (Boca da Mata) e Dona Irinéia (União dos Palmares).

Ascom – 12/11/2018