Força-tarefa contra o Aedes aegypti começa nesta terça-feira (5)

large-3
De acordo com o coordenador estadual da Defesa Civil, Moisés Melo, este é o maior mutirão já feito para combater o mosquito em Alagoas e, para que obtenha sucesso, é preciso que toda a sociedade se envolva e se comprometa.

A Defesa Civil Estadual está trabalhando sério no combate ao Aedes aegypti, o mosquito transmissor de doenças como a dengue, além da febre chikungunya e do zika vírus. As ações começam nesta terça-feira (5), no interior do Estado. Em Maceió o lançamento da campanha será na Praça do Skate, Ponta Verde, no dia 7.

A Sala Estadual de Situação e Controle, que reúne todas as forças encarregadas de coordenar e monitorar as ações da operação de combate, já está em plena atividade. Representantes das Defesas Civis estadual e municipal, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, das Forças Armadas, entre outros órgãos, começaram a vistoriar residências, edifícios comerciais e órgãos públicos, eliminando focos e conscientizando a população sobre a importância dos cuidados com o armazenamento de água.

De acordo com o coordenador estadual da Defesa Civil, Moisés Melo, este é o maior mutirão já feito para combater o mosquito em Alagoas e, para que obtenha sucesso, é preciso que toda a sociedade se envolva e se comprometa.

As ações em Maceió e nos interiores serão simultâneas e, para isso, mais de 200 pessoas estão envolvidas nesta força-tarefa. As áreas urbanas serão vistoriadas por completo, alguns pontos contando, inclusive, com vistoria aérea, para identificar imóveis abandonados com focos a serem desativados – piscinas, pneus, barris e demais recipientes que acumulem água.

Na capital, as atividades já têm ponto de partida. “A região baixa de Maceió é a que oferece maior risco à população. Então, por isso, com orientação da Defesa Civil do Município, faremos essa operação começando deste ponto”, afirmou o coordenador.

Já com relação às áreas rurais, serão vistoriadas aquelas que apresentam maior risco à população, como é o caso do Sertão de Alagoas, onde as famílias costumam armazenar água por conta da escassez.

Prédios públicos e comerciais também serão vistoriados. “A orientação aos órgãos públicos é que o próprio órgão faça sua fiscalização. Independente disso, a Defesa Civil está atenta, e os agentes irão visitar todos os órgãos, sejam eles públicos ou privados”, garantiu Moisés Melo.

Por fim, o coordenador da Defesa Civil Estadual relembrou os cuidados que devem ser tomados com recipientes que acumulam água e a importância da higiene. “A população sente na pele o problema do mosquito, que mora dentro da sua residência”, finalizou, salientando a importância dos esforços por parte da própria sociedade alagoana.

Agência Alagoas