Rui espera economizar R$ 160 mi com cortes

APERTO. Secretarias terão que reduzir 10% das despesas esse ano

Rui130116

Cento e sessenta milhões de reais este ano é quanto a Prefeitura de Maceió deverá economizar com o corte de 10% das despesas custeadas com recursos próprios do Município, anunciado na última segunda-feira pelo prefeito Rui Palmeira (PSDB). O contingenciamento foi adotado como medida emergencial para sobreviver à crise econômica nacional e é extensivo a praticamente todas as secretarias e órgãos públicos municipais, que deverão apresentar a partir de agora uma espécie de “dever de casa” das metas estabelecidas.

Serão poupados apenas os serviços essenciais, assim mesmo não estarão longe do acompanhamento de controle de gastos. Tudo para que os recursos tenham como única e exclusiva finalidade o atendimento à população.

O arrocho financeiro é maior em determinadas secretarias e órgãos municipais, como é o caso da Secretaria de Governo, cujo corte deve chegar a 70%. Em outras, a exemplo da Comunicação, a economia a ser feita chega a 50%.

“Existem situações e particularidades para cada caso”, afirmou o secretário municipal de Finanças, Gustavo Novaes. Ele cita como exemplo a Lei Eleitoral que por si já inviabiliza uma série de ações em ano de eleição, a exemplo de projetos que não tenham sido iniciados ou programados até o dia 30 de abril do ano do pleito e o limite com gastos na área de comunicação, daí também a necessidade do corte de recursos para a Secom municipal.

Em outros casos, como a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), os projetos que ainda não foram elaborados ou que estavam sendo apenas planejados, não sairão do papel. “Temos mais de 30 ruas a serem pavimentadas, além de outras ações nesta área que serão tocadas. No entanto, não haverá tempo, até que se conclua, para novos projetos de acordo com o calendário eleitoral. Então, esses novos investimentos terão que ser reprogramados para o exercício seguinte. A meta da prefeitura é concluir as obras iniciadas, que já disponham de ordem de serviço”, informou o secretário Gustavo Novaes. A Seminfra, terá um corte de 50% em seu orçamento.

Gazeta