MPE investiga prefeito suspeito de receber propina de empresário

Presidente da Câmara assumiu o município após prefeito e vice serem afastado por irregularides

201601192001_8885994bf6

A Câmara de Tanque D´Arca cassou, em sessão ordinária realizada na tarde desta terça-feira (19), os mandatos do prefeito afastado do município, Roney Valença (PMDB), e do seu vice, Valdemir Bezerra, por supostas irregularidades cometidas com o dinheiro público.

Com a decisão dos vereadores, o presidente afastado da Câmara, Antônio Teixeira (PMN), segue como prefeito em exercício de Tanque D´Arca. Teixeira é alvo de investigação do Ministério Público (MPE) e já foi flagrado recebendo propina de um empresário local.

O dinheiro que teria sido recebido pelo prefeito em exercício seria referente à construção de uma creche e também de um ginásio esportivo no município. Teixeira teria recebido cerca de R$ 150 mil. No vídeo, ele aparece recebendo propina e colocando o dinheiro nas meias, para não chamar a atenção ao deixar o gabinete.

De acordo com a assessoria do MPE, Antônio Teixeira é alvo de duas investigações realizadas por promotores, como também pelo procurador-geral de Justiça, Sérgio Jucá, sendo uma criminal e a outra administrativa.

As investigações apuram as supostas práticas ilegais na administração do município, como também o recebimento de propina flagrado no vídeo divulgado em novembro passado pelo programa Fantástico, da Rede Globo.

“Estou com a minha consciência tranquila”, disse o prefeito à época para a equipe do quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui?”. A equipe também perguntou em seguida se o prefeito “deita a noite e dorme?”. “Durmo tranquilo”, respondeu.

Prefeito e vice cassados

Roney Valença e o vice Valdemir Bezerra estavam afastados do cargo após o magistrado da Comarca de Anadia, José Braga Neto, acatar as denúncias de fraudes em licitação, desvio de dinheiro público e falsidade ideológica.

Gazetaweb