Fortaleza terá 10 estações com 15 carros compartilhados em abril

Prefeitura de Fortaleza vai lançar edital em 11 de fevereiro.
Usuário precisará pagar taxa de adesão mensal e taxa de uso.

carro_eletrico_fortaleza

A capital cearense deverá ter 10 estações de carros compartilhados com 15 veículos elétricos em funcionamento até a primeira quinzena de abril deste ano. A previsão é que edital do sistema seja lançado no dia 15 de fevereiro para as empresas interessadas, anunciou a Prefeitura de Fortaleza na manhã desta quinta-feira (21). De acordo com o prefeito Roberto Cláudio, será o primeiro sistema público de carros elétricos compartilhados do país.

O projeto, em caráter piloto, vai disponibilizar 15 veículos 100% elétricos em dez estações nos seguintes pontes: Praça do Ferreira, Parangaba, Igreja de Fátima, Benfica, North Shopping, Aeroporto, Beira Mar, Del Paseo, Iguatemi e Riomar.

“Hoje na cidade de Fortaleza estacionar o veículo é um problema. O carro compartilhado, além do ganho ambiental para a cidade, ele é bom no ponto de vista prático, econômico, e para achar estacionamento”, avalia Roberto Cláudio.

Quanto custará para o usuário
(exemplos de duração de viagem)
Tempo Custo
45 minutos R$ 32
1 hora R$ 44
1 hora 30 minutos R$ 62
2 horas R$ 80
3 horas R$ 110
4 horas R$ 140
Fonte: Prefeitura de Fortaleza

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, informou que a ideia é expandir o sistema progressivamente, com base na avaliação dos usuários. A previsão é de ter, até o fim de 2017, um total de 30 estações e 45 carros elétricos compartilhados.

“Se a ideia tiver aderência, se tiver uso, nós vamos fazer a mesma coisa que fizemos com as bicicletas compartilhadas. Iremos expandir progressivamente os carros compartilhados”, explicou o prefeito.

Os locais previstos para as etapas seguintes são: Messejana, Porangabuçu, Rodoviária, Montese, Instituto dos Cegos, Dragão do Mar, Aterrinho, Náutico, Assembleia Legislativa, Praça da Imprensa, Jornal O Povo, Avenida Monsenhor Tabosa, Praça Luíza Távora, Varjota, Pátio Dom Luiz, Cocó, Carrefour, Unifor, Avenida Edilson Brasil Soares e Lago Jacarey.

Cadastro
O usuário terá que realizar um cadastro em uma plataforma online e apresentar carteira de habilitação (CNH), comprovante de residência e pagar a taxa de adesão de R$ 40.

Proposta para minutos adicionais (sujeito a alterações)
R$ 0,80 R$ 0,60 R$ 0,50 R$ 0,40
30 a 60
minutos
60 a 120
minutos
120 a 240
minutos
Após 240
minutos

Por meio de aplicativo, o usuário deve reservar um veículo disponível em qualquer uma das estações e retirá-lo dentro de 15 minutos. Para retirar o veículo, ele deve informar em que estação vai devolver o carro. O usuário do sistema poderá dirigir pelo tempo que quiser.

A proposta tarifária do edital, sujeito a alterações, será de taxa de adesão mensal de R$ 40, que poderá ser revertido em crédito para os usuários. A cada uso, o motorista deve pagar R$ 20 de taxa, que vai dar direito à utilização nos 30 minutos iniciais. Depois desse tempo, será cobrado valor adicional por minuto de viagem (ver quadro acima).

Para dar baixa no sistema e sinalizar a devolução, o usuário precisa estacionar o carro em qualquer estação e plugar a tomada na estação para recarregar a bateria. “Se deixar o carro lá e não carregar, vai continuar contando os minutos. Essa é a garantia que o carro estará pronto para o próximo uso”, explicou Roberto Cláudio.

Custos do sistema
Para concorrer, a empresa operadora deve apresentar carta de patrocínio. Conforme a prefeitura, será vencedor da chamada pública quem ofertar mais carros, a partir de 15 carros elétricos.

A empresa selecionada vai ser responsável pela implantação, operação e manutenção do sistema na cidade, assim como acontece com o sistema de bicicletas compartilhadas.

O edital vai permitir multipatrocínio e co-patrocínio. Com isso, destacou Roberto Cláudio, o sistema não terá custo para a prefeitura. “Há interesses múltiplos por esse edital e a ideia é implantar um sistema que seja pago 100% pela publicidade que vai ser colocada nesses carros. A prefeitura não vai entrar com nenhum real, nem na compra dos carros nem na operação do sistema”, disse o prefeito.

O projeto prevê que os usuários cadastrados possam oferecer e solicitar carona, via aplicativo. As taxas de uso, nesse caso, serão divididas entre os usuários.

“No aplicativo móvel, você reserva o carro, diz que vai da estação A para a estação B, e diz que está disposto a ofertar carona. Se outra pessoa tiver interesse nesse mesmo deslocamento, ela vai aceitar a carona. O custo desse deslocamento é dividido. Objetivo é incentivar carona e permitir que o veículo seja utilizado por mais pessoas”, explicou o engenheiro do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (Paitt), Dante Rosado.

Bilhete Único oferece desconto
Outro incentivo anunciado pela prefeitura é que os usuários com cadastro ativo no Bilhete Único terão benefícios no sistema. “Pode ser redução da tarifa, aumento do tempo do uso”, acrescentou o engenheiro do Paitt. Além disso, os carros elétricos poderão estacionar nas vagas da zona azul gratuitamente.

carro2_zGtlBAA

O carro 
No edital, segundo Roberto Cláudio, não está especificada a marca do carro, só a teconologia, que deve ser 100% elétrico. “Entretanto, hoje só tem um carro reconhecido, licenciado pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito)”, adiantou o chefe do executivo municipal. Por isso, em Fortaleza, o modelo adotado deve ser um BMW i3.

O veiculo, de acordo com o superintendente da Welle Motors, João França Júnior, é produzido na Alemanha. Para o consumidor comum, custa entre R$ 199.950 e R$ 209.950  na venda direta em diferentes versões.

Ele tem autonomia de até 200 quilômetros, requer oito horas para recarregar na tomada comum e três horas na estação que será implantada pela prefeitura. Entre as características, pneu com borracha reciclada, fibra de carbono, fibra de vidro, fibra de folha de eucalipto reciclada, plástico reciclado. Nos primeiros dias de funcionamento, agentes da Etufor e da AMC vão explicar o uso.

De acordo com o titular da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), João Pupo, a prefeitura já recebeu interesse de empresas para operar o sistema e também para patrocinar.

‘Se bater o carro?’
“Se bater o carro, ou se for parado e estiver sem a carteira de motorista? Pelo sistema, se acontecer algum dano ou alguma coisa ao veículo naquele horário, a gente sabe exatamente quem é a pessoa responsável pelo uso. E se ele colocar o filho menor de idade para dirigir? Funciona como se estivesse dirigindo o próprio carro”, afirmou o prefeito.

Carros compartilhados x táxi
Roberto Cláudio defendeu ainda que o sistema de compartilhamento não vai concorrer com os táxis. “São usos diferentes. Com táxi, você vai para um destino, seja trabalho, uma consulta, compra, e depois volta para casa. O carro compartilhado permite vários destinos, em um horário de tempo mais longo. É um sistema complementar ao táxi”, argumenta.

No cronograma da prefeitura, após o lançamento do edital em 11 de fevereiro, a abertura das propostas deve ocorrer em 26 de fevereiro, com prorrogação da abertura em 14 de março, se necessário.

O sistema de carros compartilhados em Fortaleza foi inspirado no modelo adotado em Paris, em funcionamento há quatro anos, onde atualmente existem 3 mil veículos, 900 estações, 75 mil usuários. Os números foram repassados pela gestão municipal.