Saúde lança primeiro Plano Estadual de Oncologia na sexta-feira (17)

Usuários do SUS terão assistência garantida em serviços especializados de Maceió e Arapiraca

a35e8d813ddfd2b9450d18696a9321b5_L
Com lançamento do plano pelo Governo de Alagoas, serão disponibilizados, através do Plano Oncológico, número de procedimentos a serem realizados pelas Unidades de Alta Complexidade em Oncologia. Carla Cleto

O atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) acometidos por câncer ganhará reforço com a implantação do Plano Estadual de Oncologia, que facilitará o acesso aos serviços de diagnóstico e tratamento, localizados em Maceió e Arapiraca.

O lançamento do plano e assinatura do contrato acontece nesta sexta-feira (17), às 9 horas, no Salão Aquatune, no Palácio República dos Palmares, centro de Maceió, com a presença do governador Renan Filho e da secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska.

Desde o ano passado, a Secretaria de Estado da Saúde vinha discutindo e definindo o Plano Estadual de Oncologia, que atende as determinações da portaria 140, do Ministério da Saúde, publicada em 27 de fevereiro de 2015. Para Alagoas, o Plano Estadual de Oncologia representa um grande avanço, conforme destacou a secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska, uma vez que irá assegurar assistência integral, que vai desde o diagnóstico precoce, passando pelo tratamento, reabilitação e cuidados paliativos.

Atendendo o que determina a portaria 140 do Ministério da Saúde, serão disponibilizados, através do Plano Oncológico, o número de procedimentos a serem realizados por mês pelas Unidades de Alta Complexidade em Oncologia (Unacons) e os Centros de Alta Complexidade em Oncologia (Cacons).

 Mensalmente serão realizadas 500 consultas especializadas, 640 exames de ultrassom, 160 endoscopias, 240 colonoscopias e retossigmoidoscopias, além de 200 exames de anatomia patológica.

 Por terem a maior estrutura em serviços, Maceió e Arapiraca foram escolhidas como referências para o tratamento inicial. Os serviços disponibilizados na capital alagoana são os Cacons e Unacons que funcionam na Santa Casa de Maceió e nos Hospitais do Açúcar e Universitário. Já em Arapiraca, as duas referências são os Hospitais Afra Barbosa e Chama.

Nessa primeira etapa, os serviços de diagnóstico e rastreamento da mama e do colo do útero irão funcionar apenas em Maceió. E, no próximo ano, a previsão é que seja estendido para São Miguel dos Campos, Palmeira dos Índios e Santana do Ipanema. Como a saúde está sendo regionalizada, futuramente outros municípios serão beneficiados. Por ano são acometidos com câncer em Alagoas uma média de 1.350 pessoas, que a partir de agora terão tratamento assegurado de forma integral.

Mônica Lima – Agência Alagoas