Alagoas deve ganhar núcleo de informações para investidores

Sedetur estuda modelo adotado em São Paulo para desenvolver projeto no Estado

Segundo secretário Helder Lima, o novo modelo deve garantir mais agilidade nos principais gargalos encontrados para o funcionamento pleno das empresas.
Segundo secretário Helder Lima, o novo modelo deve garantir mais agilidade nos principais gargalos encontrados para o funcionamento pleno das empresas.
Segundo secretário Helder Lima, o novo modelo deve garantir mais agilidade nos principais gargalos encontrados para o funcionamento pleno das empresas

Para implementar em Alagoas um modelo de concentração de informações para investidores, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Helder Lima, esteve nesta quarta-feira (22), na Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade.

Idealizada na Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, a agência gera mecanismos para o fortalecimento da economia, com base em um trabalho de condensação de dados necessários para implantação de empreendimentos.

Na prática, a agência funciona como um núcleo de atração de investimentos que atua como porta de entrada para novos negócios, além de atualizar às novas possibilidades de mercado os empreendimentos já instalados no Estado.

“Adquirindo o conhecimento acumulado aqui, faremos com que Alagoas adote as melhores soluções para atrair investimentos de forma mais eficiente e célere”, explicou o secretário Helder Lima.

Ainda de acordo com o secretário, o novo modelo deve garantir mais agilidade nos principais gargalos encontrados para o funcionamento pleno das empresas, a exemplo de alvarás de construção, abertura de CNPJ, licença ambiental, incentivos governamentais, linhas de financiamento e questões de infraestrutura básica, como fornecimento de energias, água e gás.

“A ideia é fazer com que o empresário não perca tempo visitando todos os órgãos responsáveis por cada pré-requisito necessário para instalação dos empreendimentos. A agilidade pode fazer toda diferença na hora de decisão do empresário de vir ou não para o Estado”, explicou o superintendente de Indústria e Comércio, André Gomes.

Agência Alagoas.