Aposentado entrega arma que quase causou tragédia familiar

103121_ext_arquivo

Antônio Severiano, de 77 anos, passava pela praça Lucena Maranhão, no bairro de Bebedouro, quando recebeu um panfleto da campanha de entrega voluntária de armas de fogo, da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev). Foi quando resolveu entregar sua garrucha calibre 22, dada pelo sogro há mais de 20 anos.

Há alguns anos, a arma por pouco não causou uma tragédia familiar. Num momento de brincadeira, a esposa do senhor Antônio apontou a arma para a cabeça de sua filha, pensando que o armamento não funcionava. “Na hora eu gritei e minha esposa disse que não havia munição. Para provar, ela disparou em direção à cama. Para a surpresa de todos, a bala saiu e nos deu um grande susto”, conta ele.

O aposentado aproveitou o ônibus da campanha, que está estacionado ao lado da paróquia Santo Antônio de Pádua, para efetuar a entrega da garrucha, nove munições e receber a indenização. Antes, porém, ele recolheu uma guia para transportar a arma de sua casa até o ponto itinerante.

O coordenador da campanha da Seprev, José Cláudio Fonseca, conta que a garrucha é uma arma antiga, mas altamente perigosa. “Muita gente ainda guarda arma desse tipo em casa. Por ser pequena, ela desperta curiosidade. Entretanto, se este tipo de bala perfurar uma pessoa, a tendência é ficar alojada na vítima, diferentemente de outras munições que atravessam o corpo. Para retirar os projéteis, por serem muito pequenos, causam muitas complicações”, esclarece.

A unidade móvel da campanha de entrega voluntária de armas fica no bairro de Bebedouro até a próxima sexta-feira (8). O valor da indenização varia de acordo com o tipo de arma e vai de R$ 150 a R$ 450. Para mais informações: 0800-280-9390.

alagoastempo.com.br