Clube turco pede para jogadores não saírem em meio a golpe militar

“O pessoal do clube pediu pra gente não sair de casa”, disse Souza, ex-São Paulo

naom_57896b12bfe87

Jogador do Fenerbahce, da Turquia, o volante Souza – ex-São Paulo e seleção brasileira – diz que o clima na capital Istambul era de guerra nas últimas horas.Nesta sexta-feira (15), as forças armadas da Turquia anunciaram que passaram a controlar o governo, em golpe de Estado contra o presidente Recep Tayyip Erdogan, que pediu a seus seguidores que desafiem os militares.

Em contato com a Folha de S.Paulo, ele afirmou que o clube recomendou ao grupo de atletas que fiquem em suas casas e não saiam.

Um amigo turco do brasileiro, que fala português, aconselhou que todos façam um estoque de alimentos para os próximos dias.

“A situação está um pouco complicada. Como todos têm visto, os militares estão tomando o país à força. Estou aqui acompanhando pela TV, eu não sei se o povo está a favor ou contra, estão todos indo para as ruas. Eu não consigo entender muito bem o que a TV diz. O pessoal do clube pediu pra gente não sair de casa”, disse Souza.

“Um amigo turco que fala português falou para gente comprar bastante a coisa pra deixar guardado em casa. Mas é mais ou menos isso. Mais cedo estava um clima de guerra. Teve tiroteio, a gente ouviu o barulho de caças do exército sobrevoando a cidade, muitos helicópteros passando. Agora, o clima está um pouco mais tranquilo”, completou.

Desde 2015 no Fenerbache, Souza ganhou projeção no São Paulo, onde, em 2014, foi convocado por Dunga para defender a seleção brasileira em três amistosos pós Copa.

Pelo clube turco, o brasileiro de 27 anos tem 48 jogos e três gols marcados. Com informações da Folhapress.

noticiasaominuto.com.br

15/07/16