Trump decide permanecer no Nafta e renegociar acordo comercial

Presidente americano não descartou encerrar o acordo no futuro se não conseguir “fazer um acordo justo para os EUA”.

O presidente americano, Donald Trump, decidiu manter o Nafta, o acordo de livre-comércio firmado entre EUA, Canadá e México. A decisão ocorreu após severas críticas de Trump ao acordo comercial.

A decisão foi anunciada após Trump conversar com líderes do México e do Canadá. Segundo Trump, novos termos para o acordo serão definidos, segundo o G1.

“Em vez de encerrar o Nafta, o que seria um grande choque para o sistema, nós vamos renegociar”, disse Trump a jornalistas nesta quinta-feira (27).

Ele, no entanto, não descartou rever a posição no futuro. “Se eu for incapaz de fazer um acordo justo para os Estados Unidos. .. Eu vou terminar com o Nafta”, disse Trump.

Críticas

Menos de duas horas depois de fazer seu juramento de posse, Trump enviou um comunicado oficial confirmando que pretendia rever o Nafta. Em sua campanha, Trump disse que o acordo gerou desemprego, reduziu a produção industrial nos EUA e impactou negativamente a economia do país.

As maiores críticas foram feitas à indústria automobilística. México e Canadá são os principais exportadores de veículos para o mercado americano. Na campanha e após a vitória nas eleições, Trump atacou especialmente as importações vindas do México.

O Nafta é um acordo firmado há 23 anos por Estados Unidos, México e Canadá. As regras do Nafta permitem que um país deixe o grupo por meio de um simples aviso aos demais participantes. A partir daí, começa um prazo de 4 meses para novas negociações. Se um novo acordo não for aprovado pelos legisladores de todos os países-membros, o acordo tem de ser encerrado.

Atualmente, os EUA vivem um desequilíbrio na sua balança comercial com os principais parceiros. Ou seja, o país importa mais desses mercados do que exporta.

27/04/2017