Coreia do Norte faz teste de míssil balístico, diz Seul

Estima-se que o teste tenha falhado, diz agência sul-coreana. Casa Branca diz que presidente Trump foi informado.

A Coreia do Norte fez um novo teste de míssil balístico nesta sexta-feira (28) que “aparentemente falhou”, segundo informa a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Autoridades dos Estados Unidos confirmaram o lançamento de um míssil “não identificado”. A Casa Branca confirmou estar ciente do teste e disse que o presidente Donald Trump foi avisado, segundo a Reuters.

Um comunicado do Comando dos EUA no Pacífico afirma que o míssil não chegou a deixar o território norte-coreano e que o disparo partiu de um ponto próximo da base aérea de Pukchang, atesta o G1.

“A Coreia do Norte disparou um míssil não-identificado de um local nas proximidades de Bukchang, em Pyeongannam-do, na direção nordeste em torno das 5h30 (horário local) de hoje”, diz um comunicado do Exército da Coreia do Sul. “Estima-se que [o teste] tenha falado”, acrescenta.

A nota afirma também que os militares estão atentos em relação a mais provocações pelo país vizinho e mantêm uma postura de defesa. A autoridade americana ouvida pela AFP diz que o míssil “foi de um tipo desconhecido e não representa ameaça”.

O último teste feito pelo pela Coreia do Norte, há mais de 10 dias, falhou. O país asiático, que já realizou 5 testes nucleares com sucesso nos últimos meses, quer desenvolver um míssil intercontinental capaz de atingir os EUA.

A ameaça do programa nuclear da Coreia do Norte foi tema de uma reunião do Conselho de Segurança da ONU nesta sexta em Nova York. Nela, o secretário de Estado americano, Rex Tillerson, afirmou que “todas as opções devem permanecer sobre a mesa” contra a Coreia do Norte, enquanto China e Rússia advertiram os EUA a não ameaçar usar a força militar.

Tensão

O programa nuclear da norte-coreano provoca tensão com os seus vizinhos e com os EUA, que enviaram um grupo aeronaval americano, incluindo o porta-aviões ‘USS Carl Vinson’ e um submarino com mísseis guiados, para a península da Coreia. O país também começou a transferir partes do sistema antimíssil THAAD para o sul da Coreia do Sul.

A Coreia do Norte realizou na última terça-feira um grande exercício de tiros artilharias de longo alcance em sua costa leste. No dia seguinte, EUA e Coreia do Sul realizaram exercícios militares com fogo real perto da fronteira.

Em um desfile desfile militar no “Dia do Sol” — data do nascimento do líder fundador da dinastia, Kim Il-Sung, avô do atual líder –, a Coreia do Norte exibiu o que poderiam ser novos mísseis intercontinentais ou protótipos, e um míssil balístico que Pyongyang testou com sucesso em agosto, segundo vários analistas.

Em entrevista à Reuters na quinta-feira, Trump disse que um “grande, grande conflito” com a Coreia do Norte é possível devido a seus programas nuclear e de mísseis.

O vice-chanceler da Rússia, Gennady Gatilov, alertou nesta sexta que o uso da força seria “completamente inaceitável”.

28/04/2017