Corpo de radialista vítima de acidente com carro alegórico é velado

Presidente da Liesa disse que acidente que causou a morte de Liza Carioca faz a liga repensar a segurança do carnaval. Despedida teve presença de muitos representantes de escolas.

O mundo do samba se reuniu em luto nesta segunda-feira (1º), no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, Zona Portuária do Rio, para a despedida da radialista Elizabeth Ferreira Joffe, de 55 anos. O corpo de Liza Carioca, como era conhecida, começou a ser velado no início da tarde e será enterrado às 16h.

Liza foi uma das vítimas do acidente com o carro alegórico da escola de samba Paraíso do Tuiuti, durante a abertura do desfile do Grupo Especial do carnaval do Rio, na Marques de Sapucaí. Uma das vítimas ainda segue internada, conforme o G1.

Presidentes e integrantes de várias escolas de samba foram ao cemitério para homenagear Liza. Apesar do colorido das camisas de cada agremiação, o clima era de comoção.

Jorge Castanheira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), disse que, após o acidentes deste ano, o carnaval está sendo repensado.

“Temos que repensar no aspecto da segurança e no aspecto daquilo que nao deu certo neste carnaval. Em 33 anos, desse espetáculo, nós tivemos poucas ocasiões de acidentes. Esse foi um acidente grave [da Tuiuti e da Tijuca]. A nossa intenção é avaliarmos tudo que não deu certo e que efetivamente a gente precise corrigir e aprimorar para os próximos anos”, disse Castanheira.

Elizabeth morreu neste sábado (29), depois de mais de dois meses hospitalizada. Ela estava internada no Hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão, Zona Norte, deste a terça-feira, quando foi transferida do Hospital Souza Aguiar após agravamento de seu quadro clínico.

A família informou que Elizabeth estava no CTI. Ela teve anemia e pegou uma infecção bacteriana. O marido disse que desde o acidente ela fez sete cirurgias.

Elizabeth trabalhava como repórter de pista da rádio Ativa FM. Ela estava na área próxima à concentração da Sapucaí quando foi atingida pelo carro alegórico. Naquela noite, ao todo vinte pessoas ficaram feridas ao serem atingidas pelo veículo.

Liesa e escola de samba lamentam a morte

Em nota, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) informou manifestar “mais profundo pesar pelo falecimento da radialista Liza Carioca”. “Nos solidariezamos com todos seus familiares e amigos neste momento de dor”, diz o texto.

Também por meio da assessoria, a Paraíso do Tuiuti informou que a escola está “profundamente consternada com o falecimento da senhora Elisabeth Joffe”. No texto, a agremiação diz ainda que “a diretoria do Grêmio Recreativo Escola de Samba Paraíso do Tuiuti lamenta o ocorrido e presta as mais sinceras condolências aos familiares e amigos”.

“Desde o fatídico episódio, a agremiação não se furtou em arcar com os custos do tratamento médico e oferecer apoio irrestrito ás vítimas com sequelas e ferimentos graves. Declaramos luto e mais uma vez lamentamos que as consequências do acidente tenham sido as piores possíveis”, complementa a escola de samba.

O prefeito Marcelo Crivella também divulgou nota de pesar sobre a morte da radialista. “

“É com muita tristeza que recebo a notícia do falecimento da radialista Elizabeth Ferreira Joffe, vítima do lamentável acidente ocorrido no Sambódromo. Presto minha solidariedade à família e aos amigos de Elizabeth e agradeço publicamente todos os profissionais de saúde que lutaram para salvar sua vida”.

01/05/2017