Policiais são criticados por arrastar mulher em protesto

Policiais são criticados por arrastar mulher em protesto

Policiais militares foram criticados por internautas após tentarem conter uma mulher durante protesto contra as reformas trabalhista e da previdência, na Cinelândia, no Centro do Rio, na última sexta-feira. Uma gravação, publicada no Facebook, mostra o momento em que dois agentes arrastam a mulher pelos braços para perto de um veículo militar. Outras imagens e relatos de manifestantes nas redes sociais revelam atitude de truculência e repressão da polícia para dispersar grupos durante o protesto com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Neste vídeo, é possível ver que há tumulto na região, enquanto manifestantes correm por todos os lados. O cinegrafista se aproxima dos policiais e mostra quando a mulher é contida por eles. O câmera condena: “Não precisa arrastar ela”, diz. “Ela está resistindo”, responde um dos policiais, segundo o Extra.

A mulher, então, é pega pelos braços e arrastada. Ela fica sentada no chão cercada pelos agentes.

Um dos policiais tenta puxar a mulher para dentro da viatura. “Por que ela está presa?”, pergunta o cinegrafista. “O que você está fazendo aí?”, retruca um policial, antes de tentar impedir a gravação. “Deixa a senhora ir embora”, pede o cinegrafista, enquanto outros manifestantes se aproximam e pedem a liberação da manifestante contida.

Por fim, um policial atira spray de pimenta diretamente na direção do cinegrafista, que encerra a gravação.

Na rede social onde o vídeo foi divulgado muitos criticaram os policiais, que foram acusados de truculência. Por outro lado, houve ainda quem defendesse a ação dos agentes e condenasse os manifestantes.

No mesmo dia, outras sete pessoas foram feridas durante os protestos no Centro do Rio. Entre eles está o homem atingido por uma bala de borracha no rosto. Ele corre o risco de perder a visão de um dos olhos.

Polícia diz que agiu contra ‘vândalos infiltrados’

A Polícia Militar, em nota divulgada nesta sexta-feira, afirmou que “agiu em vários distúrbios, reagindo à ação de vândalos que, infiltrados entre os legítimos manifestantes, promoveram atos de violência e baderna pelo centro da cidade.”

Leia a nota na íntegra:

“Desde o início da manhã desta sexta-feira (28/04), a Polícia Militar está realizando um patrulhamento intensivo por todo o estado do Rio de Janeiro, trabalhando para garantir que as manifestações reivindicatórias fossem realizadas em segurança e não impedissem o ir e vir da população.

No centro do Rio, policiais do 5ºBPM (Harmonia), do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) e o Grupamento Tático de Motociclistas (GTM) do BPChq, estão desde a manhã com as equipes na ALERJ e na Cinelândia.

A Corporação agiu em vários distúrbios, reagindo à ação de vândalos que, infiltrados entre os legítimos manifestantes, promoveram atos de violência e baderna pelo centro da cidade. Até o momento, há notícias de saques e depredação de lojas, estações do Metrô e do VLT, ônibus e carros apedrejados e incendiados. A Polícia Militar continua nas ruas, buscando neutralizar a ação de vândalos que se passam falsamente como manifestantes.”

01/05/2017